Mugen

   Hoje eu descobri que fico um pouco triste quando não estou fazendo nada. Na verdade fico triste com muitas coisas que nunca tinha reparado. Fico triste no tédio e fico tão chateado quando tenho muitas coisas a fazer que as vezes bate tristeza. Fico triste quando coisas boas terminam de forma ruim.

   Eu estava assim, triste, então resolvi procurar um anime pra ver. Comecei a ver Soul Eater tem uns 4 dias e terminei agora. Fiquei triste pelo final horroroso. Mas fiquei mais triste porque acabou... Agora eu penso em outro anime ou série pra assistir, ou então em novas armas de novas formas pra desenhar... Acho que é por isso que sempre preferi séries e animes à filmes: eles demoram mais pra acabar.

   Senti essa tristeza também quando Samurai Champloo acabou... quando Death Note acabou... Coisas assim me deixam triste. Mas não é uma tristeza equivalente à morte de um parente, ou então a um animal de estimação que fugiu... É que quando essas coisas acabam, eu olho pra cima e penso "E agora?". Não sinto isso quando tenho aulas na faculdade ou quando estou com amigos, pois sempre estou fazendo alguma coisa. Só fico triste quando não há nada pra fazer.Por isso eu detesto tanto o tédio.

   Se pensar bem, é como um parente morto sim... Quando um parente morre, você fica triste por que sente falta dele. Mal comparando, é o que acontece com minhas séries e meus animes: quando eles acabam, sinto falta de fazer alguma coisa. Não gosto quando as coisas acabam.

   Mas tudo na vida acaba, não é? Isso que me deixa triste. pensar que a qualquer momento algo pode acabar e eu não poder fazer nada... é uma sensação ruim que eu sinto quando as coisas acabam... Quando o livro que eu leio acaba, quando o jogo que eu jogo acaba, quando a musica que escuto acaba, quando o café que eu tomo acaba, quando o nascer do sol que eu admiro acaba. Quando o anime que assisto acaba... Quando o amor entre duas pessoas acaba.

   Por mim, todas as coisas seriam infinitas.

5 Comentários:

Thiago Ganon

Esse texto me lembrou uma época em que eu acreditava na beleza do infinito... quisera eu conseguir voltar a acreditar em não-finais felizes ^^ mas é assim que a vida trabalha né!? Dando porrada pra gente aprender e fazendo questão de deixar marca.

Abraço!

Lanna;

Ah, fiquei triste quando acabei de ler isso aqui. )=

Anônimo

Que deprimente!!!!!!!!!!!!
Se eu não fosse contra a manifestação dos sentimentos humanos ficaria triste! Também ficaria tiste se não areditasse na beleza da finitude. Todas as coisas acabam, mas cabe a vc prolongar as boas e encurtar as ruins! A vida não é ruim pq é curta, é curta pq ninguém lembra o qt ela é boa!

J@ck(não consegui colocar o nome do lado e fora dessa caixa)

Anônimo

A propósito, vc tem talento para a poesia em estilo romântico pré-realista, com pitadas do cubismo pré-segunda guerra! Viva a loquacidade!!!!!!!!!
J@ck

Consultoria RH

Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

Postar um comentário

Return top